sexta-feira, 27 de março de 2015

BONDADISMO

sexta-feira, março 27, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments

Bondade é uma virtude. Bondadismo é uma doença.

Bondade é a qualidade do que é bom, e é ação do ser bondoso em favor dos outros, mas sem auto-aniquilamento ou dependência no processo.

Bondadismo é o pretexto da bondade a serviço do que é mal, tendo no bondoso uma presa de sua dó em relação ao que é mal. 

É um mal do qual eu já sofri, mas meu filho Lukas me fez ter que aprender a curá-lo em mim mesmo; do contrário, o meu amor cheio de bondadismo o teria matado.

Assim, aprendi a amar de um modo que antes eu não amava. Meu amor era sempre dádiva, nunca uma supressão; sempre um acréscimo; nunca uma privação; sempre supunha que o outro [o filho] reagiria bem ao bem; sem saber que nem todos são assim; e que certos indivíduos precisam aprender o bem pela via da disciplina que produz caráter e resistência ao sofrimento.

Há muitas formas de amar.

O amor, porém, é o mesmo.

Mas em cada situação da vida o amor tem que expressar a sua face e ação apropriados; do contrario, é o bondadismo que está em ação, fazendo o mal com a motivação do bem.

Caio

Trechos retirados de:

SWING E DESESPERO 
http://www.caiofabio.net/conteudo.asp?codigo=03198

MEU FILHO É PREGUIÇOSO!... [1 , 2, 3 ]
http://www.caiofabio.net/conteudo.asp?codigo=05128


quinta-feira, 19 de março de 2015

EU ESTAVA FAZENDO XIXI

quinta-feira, março 19, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments

...E meu caçulinha bateu à porta do banheiro dias desses: "Papai, um moço disse que você tem que descer até a portaria pra falar com ele AGORA!"
"- Ok, avisa que o papai não pode agora, filhote!"
"- Mas disseram tem que ser AGORA, pai!"
"- Então não vai ser nem agora e nem depois!"

E fiquei ali, no banheiro, tentando entender porque fui tão reativo... Viajei para a época que eu era um pré-adolescente como esse meu filho. Eu era mirradinho, fraquinho, tímido e cheio de tensão! Não era para menos. Passei três anos perseguido por marginais e pedófilos que comiam os garotinhos e as virginzinhas que moravam próximo à Vila Mathias, bairro do Centro antigo de Santos, uma região sombria, cheia de casarões antigos como as que eu vivia com meus avós, mas que eram feitos cortiços subalugadas à dezenas de famílias da imigração nordestina. Os pedófilos mandavam! Davam bola de futebol, roupas bacanas e material escolar para as crianças que assediavam. As mães, quase sempre solteiras e pobres, evitavam perguntar para os filhos de onde vinham aqueles presentes... Fui trabalhar numa tapeçaria, para depois de um tempo descobrir que o lugar era só fachada para ocultar o lugar que as "festinhas" aconteciam: As crianças viam filmes pornôs cheirando cola e fumando maconha, e, então, deitavam umas sobre as outras sob orientação dos adultos. Os mais alucinados eram também "traçados" e os demais se mantinham entre troca-trocas e coca-colas. E eu fugi dali...


sexta-feira, 6 de março de 2015

CARTA: AMO FAZER VINHO: É PECADO?

sexta-feira, março 06, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments

----- Original Message ----- 
From: AMO FAZER VINHO: é pecado?
To: contato@caiofabio.com 
Subject: Enologia!
----------------------------------


Caro Pr. Caio: Graça e Paz!


Tenho lido o material do seu site e queria parabeniza-los, a você e à sua equipe, pela sua dedicação e trabalho. Que Deus continue a abençoá-los!

Se puder ajudar-me a resolver uma dúvida que tem me acompanhado já faz certo tempo, lhe agradeceria muito; e, na realidade, já o farei antecipadamente: muito obrigado!

Estou prestes a retornar ao Sul para ali poder concluir o curso de Enologia. Bom, sou um rapaz cristão-do-caminho e tenho buscado viver sob a dependência da Graça do nosso Pai; a qual tem de me bastar!

Você já sabe o quanto é polêmica a questão do “vinho” no meio “evangélico”; e digo-lhe que isto tem me causado um certo desconforto com relação à minha opção!

 Já vasculhei a internet e muitas literaturas acerca do assunto e jamais encontrei qualquer fundamento bíblico que me impeça de seguir tal profissão, ou mesmo de beber vinho, moderadamente, claro.

Apesar disto, me sinto muitas vezes julgado; um alvo de legalismos; mesmo naqueles meios evangélicos mais esclarecidos. Cabe dizer que na igreja-templo onde me congrego a maioria dos irmãos têm me compreendido, talvez porque seja uma comunidade luterana urbana. De qualquer maneira, não é nada fácil sustentar tal posição e as pressões, internas (pois sei dos problemas graves gerados pelo alcoolismo, etc.), e externas (farisaísmos, exegeses pernetas, etc.) — os quais estão me trazendo confusão; e roubando-me a paz.
Não creio que tal opção se contraponha ao verdadeiro evangelho, mas pergunto-lhe se não estaria enganado, pois não quero tornar-me um ser arrogante, orgulhoso e doutrinador.

Estaria agindo em amor se mantivesse a minha decisão?! Como posso, neste caso, fazer distinção entre “fracos” (a quem não devo escandalizar) e “fariseus” (os que deturpam a graça)?!

Talvez tenha medo de ser julgado; é algo bem possível; mas se for assim, que a Graça me ajude a superar o futuro “ostracismo” e me sustente em meio a quaisquer dificuldades!
Que Deus o guarde de todo o mal e o abençoe muito, e que me guarde a mim de ser este mal; e que nos dê a Paz Dele!

Nele, que já atuou como “enólogo” em Caná da Galiléia!
____________________________________________
Resposta:

Meu querido amigo: Graça e Paz!



domingo, 22 de fevereiro de 2015

A VIDA ETERNA É ESSA: CONHECER A ELE!

domingo, fevereiro 22, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments

Marcello Cunha

Primeiro haviam as águas, numa terra ainda sem forma e vazia. Depois houveram os luminares. É o que o Gênesis bíblico narra com linguagem mítica, poética e singelamente simples, sem qualquer pretensão jornalística ou cientifica-acadêmica.

Deus trabalha assim. Com processos naturais. Como um grande maestro-tapeceiro sutil. E trabalha também com uma chocante e objetiva intervenção, como aconteceu na encarnação, em Cristo.

De uma forma ou de outra, ele é o Verbo. O que fala e tudo se faz. Esse verbo estava no princípio de tudo - conforme testemunho de João no seu Evangelho - e hoje - testemunhava João - habitou entre nós. E vimos sua glória. Glória como do Unigênito do... Criador? Não. Do Pai!

O Pai que com sua Palavra faz haver uma massa sem forma e ainda vazia. A Terra antiga. E depois envia de fora dela, elementos reagentes que produzirão o Big Bang da vida planetária.

O mesmo milagre que acontece todos os dias, diante dos nossos olhos, tão chocante quanto a manifestação de Jesus. Em todo ventre feminino que gera uma vida dentro de si. Primeiro um óvulo, uma massa sem forma e vazia. Depois, um elemento reagente vindo de fora, um 
espermatozoide. E... bum! O milagre acontece.

Dali a nove meses, vem a luz! E houve Luz! Eu, você. Mas ainda sem muita consciência das coisas. A próxima "Luz" e o próximo Gênesis experimentamos mais tarde, quando a luz começa a nascer na nossa consciência. Tomamos consciência do mundo, das coisas, das relações... E ainda num terceiro processo, todo homem pode experimentar um outro Gênesis muito mais sublime. Jesus falou sobre isso ao mestre e ancião Nicodemos: "Necessário é nascer de novo pra que alguém possa ver o Reino de Deus. Não se surpreenda de eu te dizer isso".

Nicodemos pergunta ironicamente: "Vou voltar pro ventre de minha mãe? ".