domingo, 22 de fevereiro de 2015

A VIDA ETERNA É ESSA: CONHECER A ELE!

domingo, fevereiro 22, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments

Marcello Cunha

Primeiro haviam as águas, numa terra ainda sem forma e vazia. Depois houveram os luminares. É o que o Gênesis bíblico narra com linguagem mítica, poética e singelamente simples, sem qualquer pretensão jornalística ou cientifica-acadêmica.

Deus trabalha assim. Com processos naturais. Como um grande maestro-tapeceiro sutil. E trabalha também com uma chocante e objetiva intervenção, como aconteceu na encarnação, em Cristo.

De uma forma ou de outra, ele é o Verbo. O que fala e tudo se faz. Esse verbo estava no princípio de tudo - conforme testemunho de João no seu Evangelho - e hoje - testemunhava João - habitou entre nós. E vimos sua glória. Glória como do Unigênito do... Criador? Não. Do Pai!

O Pai que com sua Palavra faz haver uma massa sem forma e ainda vazia. A Terra antiga. E depois envia de fora dela, elementos reagentes que produzirão o Big Bang da vida planetária.

O mesmo milagre que acontece todos os dias, diante dos nossos olhos, tão chocante quanto a manifestação de Jesus. Em todo ventre feminino que gera uma vida dentro de si. Primeiro um óvulo, uma massa sem forma e vazia. Depois, um elemento reagente vindo de fora, um 
espermatozoide. E... bum! O milagre acontece.

Dali a nove meses, vem a luz! E houve Luz! Eu, você. Mas ainda sem muita consciência das coisas. A próxima "Luz" e o próximo Gênesis experimentamos mais tarde, quando a luz começa a nascer na nossa consciência. Tomamos consciência do mundo, das coisas, das relações... E ainda num terceiro processo, todo homem pode experimentar um outro Gênesis muito mais sublime. Jesus falou sobre isso ao mestre e ancião Nicodemos: "Necessário é nascer de novo pra que alguém possa ver o Reino de Deus. Não se surpreenda de eu te dizer isso".

Nicodemos pergunta ironicamente: "Vou voltar pro ventre de minha mãe? ".


quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

ENTRE MENINOS E HOMENS…

quinta-feira, fevereiro 12, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments


“Quando eu era menino…” — disse Paulo sem nostalgia do tempo decorrido...


Assim deveria ser com todo homem satisfeito com a alegria da maturidade.

Sim! Lembrar do tempo em que se era menino na fé em Cristo, mas não com saudade.

Menino faz meninice...

Paulo, no texto acima, retirado de I Corintios 13, não diz qual era a sua meninice, mas nos dias que ele já fora apenas um menino... Também ele havia sido um dia um menino.

Entretanto, considerando que ele diz que a maturidade de um homem somente é alcançada quando o homem aprende o caminho sobremodo excelente, a vereda do amor, então, é para se supor que a meninice de Paulo fora confiar mais na certeza da verdade do que na verdade do amor.

O fato que até em Cristo [e, sobretudo, em Cristo...] Paulo viu que as coisas poderiam ficar pequenas e infantis, conforme ele via na fé dos discípulos de Jerusalém [com os que estavam com Tiago], alguns deles ainda tão meninos e presos ao que já não era...

Entretanto, Paulo fez a viagem toda... Não nasceu escrevendo aos Efésios. Teve que viver...

Teve todas as fases de impressões...

Línguas, profecias, curas, milagres, ciência, sabedoria, fé, coragem altruísta, esperança, tudo.

Não demorou, no entanto, para que ele visse que sem amor toda aquela construção seria tão sem sentido quanto o era a tentativa de agradar a Deus pela Lei apenas.


quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

VAMOS FALAR SOBRE SOLOS

quinta-feira, fevereiro 05, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments

Conforme a minha tradição é da terra fértil (Adamá) que o ser humano (Adam) foi feito, ou se preferir a versão latina, é do humus que a humanidade teve a sua origem. A maldição sobreveio a terra quando o homem decidiu se rebelar colocando os seus interesses em primeiro lugar. Mas vale lembrar que e da palavra humus que também surgiu a palavra humildade e é com humildade que precisamos reconhecer a nossa dependência da terra e com isso voltar a viver em harmonia com ela. No mais, deixo pra vocês o vídeo abaixo para a reflexão.

  


domingo, 1 de fevereiro de 2015

O DEUS QUE É DISCRETO, SIMPLES, GENTIL E HUMILDE

domingo, fevereiro 01, 2015 Posted by: Caminho em Big Field., 0 comments

Por Bento Souto

O negócio da religião é simples de discernir e difícil dele sair de dentro da gente.

Na religião há uma bandeira, um time e uma torcida para cada uma delas. 

Um ser religioso é um ser de rituais e costumes, aliados a um "respeito" a letra morta da escritura --- seja ela qual for: Cristã, Muçulmana, Budista, etc. --, a quem ele proclama defender.

O Deus da religião tem nome e é carente de adoração via "sacerdotes" em reuniões coletivas.
Já o Deus em quem eu creio é aquele que é O NOME, o Deus que é!

O Deus que é discreto, simples, gentil e humilde -- para a surpresa de muitos.

Sim, o Deus que não aceita adoração senão a da vida em misericórdia para com o próximo.